segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Nossa! O ano está acabando! E que ano!

Conquistei tantos pequenos e grandes sonhos nesses 12 meses que a meu ver sou a pessoa mais feliz do mundo!
Como pode? Podendo oras!
Passei por tantas coisas, lutei tanto, que mereço cruzar meu próprio caminho assim como estou, com a vida dando certo, com as pessoas que eu gosto por perto!
Falando em pessoas, como é bom ter os amigos que tenho. Ter o sobrenome que tenho, e ter dois anjos (que não são tão anjos assim!) fazendo parte da minha vida. Que bom ter encontrado alguém tão especial pra dividir comigo as grandes descobertas e encontros que tive comigo mesma! Que bom conseguir atingir as minhas metas, organizar a minha vida e ser feliz como estou sendo!
Obrigada!
A quem toma conta desse mundo tão grande, às pessoas que me proporcionaram tantas alegrias, às que me decepcionaram sem querem, se é que existiram, as que me fizeram chorar propositalmente, as que me amam, as que estão comigo, e principalmente obrigada a mim! Que consigo escrever a minha história com tantas conquistas, com tantos aprendizados e com cores infinitas!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

"Queria aproveitar para fazer um elogio a mim, sim, chega de me detonar. (...)
...
Queria te dizer que, apesar de você se sentir imensamente sozinha de vez em quando, eu sou milhares, e todas essas milhares te acham a melhor mulher do mundo.Queria bater palmas pra todas as vezes em que você sacrificou o que você mais amava em nome de seguir a diante com o teu fígado e todas as vezes em que você ficou pequenininha para que ficar grande fosse ainda maior. Obrigada por nunca ter fugido de mim, obrigada por ter me encontrado, obrigada por estar aqui. (...) Ah, e tem mais: sua bunda até que é bonitinha, mas o resto é um arraso !."

Tati B.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Passou pela minha cabeça voltar, mas o vento balançou os meus cabelos e mostrou que o caminho é para frente, reto e sem curvas.
 

Deixar claro como, se hoje não tenho nenhum tom de amarelo na minha caixinha de lápis de cor?

E alguma coisa lá no peito, mexe, remexe, tremexe e eu preciso gritar para o mundo e esclarecer tudo o que acontece, mas eu não consigo nem mostrar a mim o que se passa, não posso sair por ai dizendo coisas que não são verdades completas, embora eu precisasse dizer pra ir digerindo e assimilando até descobrir que nada disso importa mais.

Incrível como algumas coisas deixam marcas, e até parece que foram marcadas à ferro, porque você ainda as sente.
(Caio F. Abreu)
Meu Deus como a gente se trai nessas memórias...
No início você briga, chora, faz drama mexicano. Então percebe que é cansativo demais manter esse jeito de levar as coisas.
(Caio F. Abreu)
Não adianta, não sei explicar.
As palavras traem o que a gente sente...
(Caio F. Abreu)
Eu sei, que na verdade eu não consigo entender o nosso amor
Que o teu silêncio fala alto no meu peito
E que nós dois, estamos juntos na distância
Discrepância do destino!
(...)
Sei que fez um mês entre vocês, de união
Pouco, muito pouco, quase nada
Nesta estrada você está na contramão
E a solidão, deixa estar

Vocês vão aprender que nessa vida
não se pode mais errar
Vão descobrir que entre as estrelas e o chão existe o mar
Aí então a euforia, um belo dia, vai passar
E cairá sobre seu mundo, num segundo, a traição

DEIXA ESTAR!!!
E se eu disser ninguém vai entender
como pode alguém sentir o que acabou?
Como pode as sensações de recomeço, recomeçarem de novo?
O que eu sinto existiu, ou foi só um complô entre cérebro, tempo e defeitos infinitos?

sábado, 10 de dezembro de 2011

E porque a gente tem sensações infantis e adolescentes mesmo tendo acumulado alguns anos após a maior idade, tento ideias maduras, e vocabulários complexos?
Por que sensações antigas reaparecem com pessoas antigas, e a gente vai sentindo como se o tempo não tivesse passado, e descobre que todas as sensações que vivemos ainda que tenham causado sentimentos ruins faziam parte da melhor época da nossa vida? Tenho saudade de quem fui talvez a vida tenha se encarregado de fechar feridas, mas desde quando os ralados da infância e adolescência doíam tanto assim? A gente sempre caia e queria fazer de novo.
Porque então, nos fechamos tanto com medo de cair de novo?
O processo era sempre muito divertido, seguido, claro, de dramas demasiadamente exagerados, mas no fundo um tombo era bom no ato da queda e no ato de nos erguer, o coração batia mais forte, tudo era sempre novo, tudo era aventura e estávamos descobrindo o mundo!
Pronto, descobrimos, e agora? Vai ser sempre assim? Sem aventuras? Sem frios na barriga e sem sensações de queda, pra gente poder levantar rindo e querer repetir o tombo?
Hoje eu sinto como se tivesse levantado do tombo da adolescência, querendo fazer tudo outra vez, mas agora a vida infelizmente não deixa!

Saudades a gente só sente do que foi bom, e eu tenho uma saudade grande de tudo aquilo.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

"Olhos nos olhos, quero ver o que você faz
Ao sentir que sem você eu passo bem demais

Olhos nos olhos, quero ver o que você diz
Quero ver como suporta me ver tão feliz."

[Chico Buarque]
"Eu, agora - que desfecho!
Já nem penso mais em ti.
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?"

[Mário Quintana]

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

De repente sem razão explicada ou lógica você aparece nos meus pensamentos, e como se não tivesse responsabilidades a cumprir me distraio, e dou um sorriso grande e leve, sereno de quem está com o coração tranquilo depois de alegrias eufóricas.
Se você pudesse entrar em mim (como a gente tanto tenta quando se abraça) veria o tanto de efeitos que causa, e causa sem sequer estar por perto efetivamente. É como se em qualquer parte do dia eu te pegue olhando pra mim, sendo comigo, vivendo comigo.
As coisas, pequeninas e simples que vivemos juntos são tão lindas quanto os grandes momentos que já passamos, e eu tenho vontade de esticar o braço e tocar você, só pra sentir você ali.
Não acredito em metades, mas não dá pra negar que a minha vida é cada vez mais completa, como se nela existissem buracos a serem preenchidos e você os preenche gradativamente, cada hora com uma característica que é só sua, o sorriso, o olhar, o toque, a voz e todo o resto.
Te amo menino, e não importa o tamanho de tal frase, ela não é suficiente pra demonstrar tudo que você representa na minha vida, não dá pra descrever todas as cores que você ativa.
Meu sorriso não tem nem a metade do tamanho da felicidade que sinto hoje e que compartilho com você.
Antes eu construiria um castelo de novos sonhos pra te fazer feliz, e sem perceber hoje, a gente já construiu uma boa parte dele!
Existem momentos grandes por sua essência não pelo seu tamanho, é o conjunto de detalhes e efeitos que traz o gosto bom das coisas, e você é o detalhe mais importante dos últimos grandes momentos!

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Eu quero, e essa vontade descontrolada de ser, estar e sentir vindo de sentimentos exagerados, são soltados em palavras de sonoridades fortes, as quais imagino ter um peso forte para quem as recebe e me lembro que é invasivo demais soltar todos os sentimentos, mesmo que bons, dentro do coração de alguém, ai paro, me contenho e tremo por dentro.

sábado, 6 de agosto de 2011

Covarde é aquele grande de tamanho e pequeno de alma que fere e diminui um outro que é Grande de Alma e Pequeno de Tamanho!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Uma literatura é tão boa quanto a quantidade de possibilidades que ela dá a quem lê.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Olha, se você sentir pena de si mesmo isso nunca vai passar. Não é só você que sofre no mundo! Todos tem traumas, medos, e feridas fundas, você tem o direito de sofrer, mas isso não pode fazer com que você perca o direito de viver.
Certas cicatrizes vão estar presas a você o resto da vida, são impossíveis de serem demovidas, cabe a você esconde-las e evitar tocar nela a vida inteira, ou aceita-la como parte de sua personalidade.
Vai em frente, a vida é cheia de coisas boas, e você vai conseguir vê-las se não estiver tão preocupado em esconder mágoas!

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Como a gente pode ser tão feliz em menos de um minuto ?

Qualquer diferença de altura é mera coincidência!

Admito ter esperado pouco da vida em alguns aspectos, e confesso ter tido esperança mesmo assim. Sempre tive a certeza de que o amor nunca seria parte da minha vida, escolha minha, eu não era capaz, apesar de hoje acreditar que isso não derive de capacidade e sim de sentidos, toques e cheiros.
E de repente me pego dentro disso tudo, sem saber como cheguei aqui e quais as forças que moveram nossos olhos a se encontrarem com tanto afeto.
Me pego com mil emoções no peito, que acabam explodindo em excesso de palavras, enquanto você observa cada parte do meu corpo tremer em uma constância exaustiva e radiante, e apesar de não dizer vai sentindo comigo, sincronizadamente, como num passo de dança, e depois de esgotadas as minhas energias você diz com os olhos brilhando: "Eu me orgulho de você, como se eu mesmo tivesse feito".
Eu seria capaz de construir um castelo de novos sonhos pra te fazer feliz.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Saudade Constante !


E quando não é com você que eu falo eu falo em você, ou releio nossas conversas ou vejo nossas fotos, não estou sendo dramática, nem demasiadamente exagerada.
Eu realmente participaria da sua vida durante todos os dias do ano se você assim quisesse.

terça-feira, 12 de julho de 2011

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Quando você percebe o narrador diz: "algum tempo depois", você se recuperou e está vivendo a melhor parte do filme!

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Sincronicidade !

Nos últimos meses tenho usado essa palavra constantemente, a primeira coisa que vem a minha cabeça quando penso em você. É engraçado como as coisas foram acontecendo em seu tempo, com seu espaço e agente sem querer foi abrindo espaço pra elas irem crescendo.
Digo sem querer porque nem eu nem você tínhamos intenção nenhuma, tudo não passava de uma ideia que não tinha a menor pretensão de acontecer, talvez esse tenha sido nosso maior acerto, seguir as vontades, falar as verdades (nesse caso mais eu do que você), e as coisas foram tomando o rumo certo sincronizadamente por agirmos certo e de acordo com o que acreditávamos, eu continuo sem expectativas, continuo não esperando nada nem de mim nem de você, os sentimentos começam e acabam e a gente nunca sabe o que pode mudar amanhã... Mas não estou aqui pra falar de fim ou de depois, estou aqui pra dizer que hoje quero continuar por perto, e que ontem foi um dos melhores dias da minha vida!

sábado, 25 de junho de 2011

A mão gela, o coração dispara, a expressão facial muda, e eu vou me transformando lentamente com a música, os movimentos ficam precisos, o corpo leve, os pés dormentes, os olhos não enxergam nada além de fortes luzes, ouço as batidas da música claramente, e sou incapaz de ouvir qualquer coisa além disso, só me lembro da sensação incrível de não estar presente em mim entre a primeira e a última batida.

quarta-feira, 22 de junho de 2011



E um dia você simplesmente esbarra com ela. E percebe que desde sempre o seu sangue correu no ritmo da música, o que você precisava era senti-lo correr nas veias pra encontrar o que procurou por tanto tempo... A dança!
"Voar sempre, cansa - por isso ela corre em passo de dança" (Eugénia Tabosa)

terça-feira, 21 de junho de 2011

"Repito sempre: sossega, sossega - o amor não é para o teu bico."
(Caio F. Abreu)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

É estranho, nunca me senti assim, acho que se assemelha muito a uma anestesia. É, isso, uma anestesia na alma, na alma, não no coração, a alma fica quieta, mas o coração aperta algumas vezes durante o dia.
Uma anestesia natural, acordei assim simplesmente.
Não sei se é cansaço, acredito que essa não seja a palavra cabível, talvez uma branda aceitação.
E essa aceitação interna e natural faz com que eu não sinta, não sinta vontade de tomar uma atitude, não sinta vontade de me mexer, não sinta vontade de fazer as coisas acontecerem, fazendo minhas manobras e dando os meus empurrões.
Eu conseguiria se o fizesse, sempre consegui, mas não agora, não com você, não assim...
Dói, mas não dilacera. Dói como um ralado de criança, aquele que arde em momentos específicos, e logo passa, logo se esquece. Não tenho certeza do porque é assim, talvez pela sensação de pausa, não de término.
Vou andando em frente, confesso que devagar, na esperança de você conseguir me alcançar se assim o quiser fazer, mas sigo em frente, sem revolta, sem dramas desesperados, sem choros e carências, só sigo em frente e vou cuidando das outras partes, que são muitas, e que precisam bem mais de mim do que meu coração, que bate acelerado por si, sem que eu me esforce para isso.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

"e hoje, descobri que dói!"

Sei que essa confusão aqui dentro não passa de uma máscara para as certezas negativas em relação a você, não estou confusa, só estou embaçando a visão para não assumir que na verdade o que você sente não é o suficiente, que na verdade, agora, eu não consigo mais carregar tudo isso que tenho no peito sozinha, que agora, eu queria você do meu lado, mesmo! Ou simplesmente queria que você me quisesse ai perto.
Aquela minha tática de chorar, chorar, chorar, lavar o rosto e nunca mais chorar pela mesma coisa não está funcionando, choro enquanto lavo o rosto...
Pior é saber que não se tem outra solução além de me distanciar, de ir embora sem dizer nada, ir sem calçar os sapatos para que você não perceba o meu impulso, para eu poder correr, correr, correr para longe, fugir dessa coisa que me faz sofrer tanto antes de te ver decidir não correr para me trazer de volta.
Descobri a pouco tempo que aquele treco de amor existe, e hoje, descobri que dói!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Os olhos mentem dia e noite a dor da gente!

O que estamos lendo se transforma lentamente na imagem que temos dentro de nós, é por isso que a interpretação se torna mutável a cada alma de cor diferente.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

? Question ?

Perguntar é um ato quase involuntário do cérebro quando este não encontra a resposta imediata.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Como será que isso é possível?

É possível gostar tanto de alguém a ponto de não suportar ver aquela pessoa sofrer?
Como fazer para aquietar meu coração tão agoniado por ter que assistir à distância a dor tão inevitável de alguém tão especial sem poder mudar uma vírgula da história?
Só agora tive a noção que não basta somente aplaudir os vôos aqui do chão. Terei que assistir as quedas sem assoprar as feridas que elas causam.
Doi não poder acelerar o processo de cicatrização e num súbito de ternura a minha vontade maior era ser capaz de fazer de tudo um simples pesadelo, como num passe de mágica, mas em um claro momento de lucidez me lembro que uma borboleta não terá as asas fortes, vivas e saudáveis se não remover sozinha o seu casulo, e assim, tenho a certeza de que a única coisa que posso fazer é não fazer nada além de estar aqui pra quando isso tudo passar, e ele conseguir abrir de novo um lindo sorriso em minha direção.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Ei! Quieto(a)!



As opiniões são para serem ditas quando solicitadas, dize-las fora desse contexto é o oposto de uma mentira ou omissão cruel!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Soldado de Chumbo!

Falando assim dá pra se imaginar um homem parrudo e durão, mas na verdade...
Sabe aquele amigo de vários anos?
Aquele que te ama (é ama!).
Não importa o quão alto você fale ou ria, se é a criança mais boba ou a mulher mais apaixonada, se anda igual homem ou fala palavrão, ele está sempre do seu lado?
Pois é eu tenho alguns, e é por influenciar um deles a escrever, e acreditar em sua força de soldado (que a única coisa que tem que combater são os próprios medos) deixo aqui um pedaço que ele deixou escapar por ai, não deixando de me reconhecer em algumas partes, é claro...
"Não queria... mas parei de respirar... cansei de efeitos borboleta. Agora vou ter minha própria história, não quero me importar, se eu fizer ventar do lado de cá, não vou mais me preocupar se a catástrofe vai acontecer do lado de lá! Agora serei eu e mais ninguém!" {Por Leonardo Gobbi}

Sensações de época...

Assim como as imagens trazem lembranças, os cheiros as trazem de forma um pouco mais abstrata, e mais abstrata ainda, são as lembranças que certas épocas fazem aparecer.
Nessa época, meados de maio/junho o outono faz com que o dia fique com um leve tom de laranja.
Essa cor, esse cheiro me trazem para o corpo uma mistura incerta de sentimentos confusos, me contradigo se disser que a vontade é de aquecer o coração, mas me contradigo igualmente se afirmar a vontade de deixá-lo aproveitar a brisa fria no começo de noite sozinho no meio das aglomerações de pessoas que se formam na cidade nesse período.
Época de cultura por aqui, os shows têm um gosto especial com a noite fresca quase fria e o céu estrelado.
A esplanada do Teatro mais bonito da cidade tem um cheiro diferente, que mistura a pipoca, o perfume dos bailarinos, o cheiro de figurino e os demais cheiros que estão presente de outros anos.
As cores mudam, as luzes parecem deixar tudo com um ar de espetáculo constante.
Pela primeira vez consigo entender as sensações que sinto durante essa parte do ano, normalmente não tenho noções de tempo e espaço, agora sei exatamente onde estou, e acabo de perceber que essa é a época do ano que eu mais gosto, o OUTONO!

Eu sou criança. E vou crescer assim...


Gosto de abraçar apertado, sentir alegria inteira, inventar mundos, inventar amores. Acho graça onde não há sentido. Acho lindo o que não é. O simples me faz rir, o complicado me aborrece. O mundo pra mim é grande, não entendo como moro em um planeta que gira sem parar, nem como funciona o fax. Verdade seja dita: entender, eu entendo. Mas não faz diferença, o mundo continua rodando, existe a tal gravidade, papéis entram e saem de máquinas, existem coisas que não precisam ser explicadas. (Pelo menos para mim).O que importa é o que faz os meus olhos brilharem, o coração bater forte, o sorriso saltar da cara. Eu acho que as pessoas são sempre grandes e às vezes pequenas, igual brinquedo Playmobil. Enxergo o mundo sempre lindo e às vezes cinza, mas para isso existem o lápis-de-cor e o amor que a gente aprendeu em casa desde cedo. Lembra?Tenho um coração maior do que eu, nunca sei minha altura, tenho o tamanho de um sonho. E o sonho escreve a minha vida que às vezes eu risco, rabisco, embolo e jogo debaixo da cama (pra descansar a alma e dormir sossegada).Coragem eu tenho um monte. Mas medo eu tenho poucos. Tenho medo de filme de terror, tenho medo das pessoas, tenho medo de mim. Minha bagunça mora aqui dentro, pensamentos entram e saem, nunca sei aonde fui parar. Mas uma coisa eu digo: eu não páro. Perco o rumo, ralo o joelho, bato de frente com a cara na porta: sei aonde quero chegar, mesmo sem saber como. E vou. Sempre me pergunto quanto falta, se está perto, com que letra começa, se vai ter fim, se vai dar certo. Sempre pergunto se você está feliz, se eu estou linda, se eu vou ganhar estrelinha, se eu posso levar pra casa, se eu posso te levar pra mim, se o café ficou forte demais. Eu sou assim. Nada de meias-palavras. Já mudei, já aprendi, já fiquei de castigo, já levei ocorrência, já preguei chiclete debaixo da carteira da sala de aula, mas palavra é igual oração: tem que ser inteira senão perde a força.Sou menina levada, princesa de rua, sou criança crescida com contas para pagar. E mesmo pequena, não deixo de crescer. Trabalho igual gente grande, fico séria, traço metas. Mas quando chega a hora do recreio, aí vou eu... Beijo escondido, faço bico, faço manha, tomo sorvete no pote, choro quando dói, choro quando não dói. E eu amo. Amo igual criança. Amo com os olhos vidrados, amo com todas as letras. A-M-O. Amo e invento. Sem restrições. Sem medo. Sem frases cortadas. Sem censura. Sem pudor. Quer me entender? Não precisa. Quer me amar? Me dê um chocolate, um bilhete, um brinde que você ganhou e não gostou, uma mentira bonita pra me fazer sonhar. Não importa. Criança não liga pra preço, não liga pra laço de fita e cartão de relevo. Criança gosta de beijo, abraço e surpresa!
Por Fernanda Mello

domingo, 24 de abril de 2011

Paz!

Não tem palavra melhor para definir a cor de um domingo com a brisa fresca de um final de tarde que mostra claramente todas as certezas transparentes do dia anterior.

Sim, as coisas podem ser perfeitamente boas!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Unf!!!

Quanto tempo ainda vai levar pra perceber que o verbo reclamar não é algo parecido com a varinha mágica da fada madrinha?

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Em ritmo mais que acelerado!

Socorro! Socorro! Socorro!
É muita coisa!
Meu cérebro está cansado, isso faz meu coração palpitar e meus olhos piscarem devagar.
Nunca pensei que iria trabalhar tanto com o raciocíno! Quem diria que aquela menininha que só fazia lição de matemática aos trancos iria acabar sem oportudidade de pensar banalidades femininas.
É! Acho que estou precisando um pouco de conversas banais e pessoas que não agregam. Ou simplesmente de umas férias da tecnologia.
A questão é: Será que eu aguentaria?
Eu adoro tudo isso! Gosto da correria, gosto de pensar e resolver, gosto de saber, gosto de ver os resultados dos comandos que dou na minha vida na hora de compilar os meus planos.
E escolho ser assim! Escolho não precisar dançar devagar, escolho a batida mais forte e o ritmo mais acelerado.
Quando eu cansar e precisar de férias? Dou um jeito de me soltar um pouquinho como fiz a pouco em baixo da chuva mais doce que já tomei na vida!

domingo, 3 de abril de 2011

Urgh! :@


E eu revoltantemente tenho uma dessas mulheres idiotas dentro de mim!
Parafraseando Tati Bernardi é como se o salto desse imbecil ser aqui de dentro estivesse cravado no meu peito! Sem que eu pudesse arrancá-lo de uma vez!
Eu quero ser eu! Mas como cansa ser quem eu quero ser!
Luto contra, corro, tento manter o foco, e o que acontece? Acabo ESPERANDO na frente do computador!
Prometi a mim mesma que nunca (mais) esperaria ninguém gostar de mim o suficiente para ter essa vontade idiota de correr pra casa e ver nessa maldita tecnologia uma forma de estar por perto!
Se eu descansar um pouquinho, se eu bobear um segundo, lá estou eu fazendo tudo de novo!!!
Quando será que isso vai parar?
Sim, eu sei! Quando eu não tiver ninguém no coração... Essa é outra parte difícil de ser eu!
Não consigo diminuir as doses, não consigo ser pela metade, ou tenho ou não tenho, ou sinto ou não sinto, se é pra ter uma gota prefiro ficar sem!
Eu que sou toda forte, independente e decidida, fico viciada pela sensação de poder me soltar um pouquinho quando recebo aquele maldito abraço.
E me obrigo, num estalar de dedos, acordar do conto de fadas, preciso recuperar o controle, e cá pra nós sou boa nisso!

quarta-feira, 30 de março de 2011

Pisco e faço-me acordar do conto de fadas.



Fico observando as mulheres próximas a mim, próximas por estarem na minha vida real, literária ou virtual.
Não importa a classe social, a carreira, a idade, o QI ou o coração, elas tem um único objetivo na vida: encontrar um 'amor' de verdade.
Independente do século XXI, das evoluções tecnológicas, e do vasto mundo feminino conquistado, todas elas continuam com a visão infantil e ultrapassada de encontrar a metade da laranja, hoje usando de jargões: "não, não existe metade da laranja, vou encontrar o Css do meu html!"
Toda a evolução pessoal e profissional, caminhada, estudo, são simplesmente para ocupar o tempo deixado pela falta do tão procurado amor verdadeiro pra sempre.
Todas tem consciência disso, fingem que eles não interessam, escrevem textos rebeldes e continuam lendo as colunas femininas fúteis que ensinam fórmulas para serem as mulheres certas e perfeitas para o primeiro cara mais legalzinho que aparecer, ou realmente se revoltam e procuram fórmulas certas para incomodá-los com os poderes de mulher do topo da árvore, bem sucedida e rebeldemente interessante.
É exaustivo demais ficar sempre atenta as minhas atitudes e vontades para que eu não caia na síndrome do amor de verdade, que não passa do desespero de achar qualquer ser do sexo oposto, criar regras e condições para prendê-lo a mim e cumprir a lei da cadeia social, mas, como prefiro ficar para Titia descolada e legal do que ser a mulherzinha submissa ou solteirona frustrada da história, me dou ao trabalho de acordar do conto de fadas!

(Tati Bernardi)

 Publicar um texto é um jeito educado de dizer: “Me empresta seu peito porque a dor não tá cabendo só no meu.”

segunda-feira, 28 de março de 2011

Façam o que quiserem... A força que trago no peito é maior!


Logo imaginei que a tempestade ia chegar, tudo estava excessivamente calmo e homogêneo.
Mais uma vez o coração aguenta e a caixinha de memórias ruins do cérebro aumenta.
Exaustivo demais ouvir tantas reclamações de uma vida inteira, exaustivo demais querer me justificar, exaustivo demais ver a incompatibilidade de ideias e sentimentos.
A caixa de podridões explodiu! E por pouco não suja toda a casa de boneca!
Vítima? Eu? De jeito nenhum!
A diferença é que procuro a paz, e não a guerra! Se fosse para eu causar os ferimentos que me tentam causar propositalmente, seriam ferimentos profundos demais para serem cicatrizados.
Covardes!!! Distorçam o que quiserem, pensem no que quiserem, me odeiem, gritem, desliguem a luz, se unam, façam como quiserem, a força que trago no peito é muito maior, eu aprendi a lutar sozinha, e não é qualquer berreiro que vai me fazer mais fraca!
Nem chorar preciso mais, a pele ficou resistente aos espinhos que me arranham durante tempos.
Ah! E essa raiva toda que sinto agora, vou colocar bem lá no fundo, para que o mundo aqui dentro continue colorido.
Essa sou eu! E não me venham ensinar a odiar a vida!

quinta-feira, 24 de março de 2011

Cá pro meu lado!


Como na natureza, tudo parece estar exatamente em seu lugar...
Que brilhe o sol, que caia a chuva, que a maré suba, que as estrelas apareçam, que o vento sopre, e que venham as possíveis tempestades de amanhã, para que a vida não se acostume e se lembre o quão forte pode ser.
Evoluir só é possível sem constâncias excessivas.

terça-feira, 15 de março de 2011

" Viva todo o seu mundo, sinta toda liberdade ... " ♪

"Eu era inteiro e nada de ruim poderia acontecer nessa vida. Nada na vida poderia ser ruim, afinal era a vida. E eu, tinha todo o tempo do universo!!!"
Na vida cruzamos com várias pessoas, passamos por várias tribos, caminhamos ao lado de muita gente, mas são raras as pessoas com alma tão bonita quanto a sua.
Talvez seja por isso que inexplicavelmente lhe desejo o bem maior do mundo. Não me importo em aplaudir os seus voôs aqui do chão, para não atrapalhar o mundo a lhe mostrar o que foi feito para seus olhos de menino.
A única pretenção que tenho é que guarde lá no fundo do seu coração o gosto sutil e agradável de cada sentimento claro e simples que temos um pelo outro.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Necessária Solidão!

A algum tempo penso no sentido da palavra "solidão", aliás acho que isso me acompanha desde criança, minha mãe sempre me disse que eu precisava ter compania para me divertir, até me deu uma trilha sonora: "como poderei viver, como poderei viver sem a sua, sem a sua, sem a sua compania".
Não me lembro como era brincar comigo mesma, mas como qualquer ser humano no mundo, já entrei em pânico de pensar em um dia não ter ninguém por mim, e ele desapareceu quando efetivamente me vi nessa situação.

Sozinha assim, de tudo, sem chão, com medo do futuro, sem saber o que me ia acontecer, sem ter pra onde voltar, e pra minha surpresa cada vez que essa sensação de solidão aumentava, mais forte eu me sentia,  eu poderia enfrentar o mundo, como se estivesse livre de amarras!
Foi a primeira vez na vida que me senti realmente capaz de suportar o peso de ser quem eu era, apesar de até então estar em crise de identidade.
Hoje, tive aquele subto acesso de necessária solidão, ando me sentindo sufocada. Talvez eu mesma provoque isso, tenho muita gente por perto, e como as pessoas não estão perto de nós porque precisamos delas, e sim o contrário, me sinto responsável em dar atenção quando elas solicitam a minha presença e com o tempo isso vai me deixando presa!
É impossível bater um papo comigo mesma com tanta gente por perto, se não consigo me ouvir, minha vista vai ficando embaçada, o mundo fica sem cor e meu sorriso amarelo.
Hora de fugir da turbulência desse mundo com tanto fluxo de informação,  contados,  mídias sociais, celulares e mensagens sms! Chega! Me deixem aqui! Não quero ser protagonista da história, deixem que eu seja expectadora da existência de outros seres, deixem eu comentar comigo como as pessoas parecem tristes por trás do sorriso, como tem o olhar sincero, ou como são pares perfeitos e imperfeitos uns para os outros, deixem que eu analise, deixem que eu me sinta pequena e insignificante perto de tudo que está acontecendo a minha volta.
Vou dar um passeio por dentro de mim e volto em algumas horas...

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Definitivamente eu tenho amigos!


Resolvi colocar aqui, e não preciso dar nomes, vocês sabem que estão inclusos nisso!
É engraçado como tudo muda em um período de tempo tão curto. Em três anos, tive aniversários completamente diferentes uns dos outros!
Amigos entram e saem das nossas vidas, e a gente sabe na maioria das vezes quem vai permanecer.

Esse ano, tive perto de mim os amigos de sempre e pra sempre (irmão, mãe), os amigos antigos, aqueles que sempre estiveram em todos os aniversários, os amigos novos, alguns que sei que vão permanecer na minha vida por mais alguns aniversários, e os que estão de passagem.
A todos vocês, muito obrigada! Pelo carinho, pelo abraço, pelos recados, pelas mensagens, por estarem do meu lado!
Tenho por todos vocês um apreço imenso!

"Eu sei é um doce te amar, o amargo é querer-te pra mim!" ♪ ♫


Muito difícil organizar todos os sentimentos, é como se dentro de mim houvesse um caldeirão, com pitadas de sentimentos distintos borbulhando algo colorido, em degradê.
Acredito que seja por isso que falo deles a você com tanta facilidade, é divertido e excitante ver cada palavra sair de uma cor diferente da minha boca e refletir nos seus olhos, onde vejo você controlando a euforia dos sentimentos descontrolados que causo quando solto esse turbilhão de palavras coloridas.
Como não consegue dizer, me abraça, e nesse abraço apertado que me dá quando me sente trêmula e dentro de mim, sinto a sua vontade de me carregar pra dentro de você de alguma forma, e você conseguiu! Me fez por alguns segundos entrar e ver o verde que tem dentro desse mundo tão fechado e distante.
Não sei o que está acontecendo entre nós, mas a sincronicidade de pensamentos, gostos e ideias, é a mesma para esses sentimentos novos que estamos descobrindo.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Bem vindo 22!



Caramba! O tempo passa!
Tenho pouquíssimas lembranças da minha infância, mas os fatos que me lembro não parecem estar a 10 anos do que sou hoje.
É engraçado essa coisa de tempo, de anos, de idade.
Não consigo aceitar que sou adulta, o que vejo aqui dentro é uma menininha de cabelos cacheados, nem loiros nem castanhos, com um brilho nos olhos, um sorriso aberto, os dentes pra frente, descalça, correndo na rua, subindo no pé de manga, sentada no pé de caju, chupando pinha, brincando no balanço do quartinho, se escondendo em baixo da mesa pra não ouvir a briga, indo pro esconderijo preferido, invisível desde que se feche os olhos, dormindo e sonhando com aquele ursão que veio trazer os lápis de cor de chocolate, sonhando com os ninjas que invadiram a rua, e fugiram na bicicleta vermelha do vizinho, acordando, fazendo lição de matemática no tranco, indo pra escola mais incrível e mágica que se pode existir e que parecia tão grande!
Hoje, não faço tudo isso, mas continuo com os traços da menininha de lencinho no fundo do quintal de terra.
Definitivamente não gosto de crescer, mas adoro fazer aniversário!
Não preciso comemorar! Não preciso que se lembrem, a festa se faz aqui dentro, e as bexigas são das cores que tenho aqui desde criança!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Correr...


E como uma decisão súbita de quem prefere correr para evitar o desconhecido que talvez acarretaria dor, eu corri, e conforme a distância aumentava, um buraco preenchido de dor ia gradativamente sendo ampliado aqui dentro. Numa mistura de sentimentos ruins, a garganta foi ficando apertada até me sentir sem ar.
Não era a dor de estar perdendo, como imaginei a princípio, nunca me pertenceu para tal.
Não era orgulho, como também já senti em outras ocasiões, pois nada me feriu a tal ponto.
E de repente PLIN! Tive um Insight¹!
O meu corpo, coração e mente entraram em conflito! Todos os comandos de desinstalação que eu estava tentando gerar iam contra o que era necessário para o funcionamento correto do sistema.
“PAN! Você não pode desinstalar o software! Ele está sendo usado por outro diretório”
A solução?
Não correr! A minha vontade real sempre foi ficar, a dor de ir embora seria muito maior do que a dor do fim da história.
Ser correspondida é o que menos me importa, meus sentimentos independem do afeto que me é destinado, ele existem por si só, assim como qualquer parte de mim.

¹Insight = entendimento, percepção profunda

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Aprenda!

Quantos anos foram precisos para que eu conseguisse chegar?
Quantas dúvidas tive que enfrentar?
Quantos medos foram superados?
Quantos anos de trabalho?
Quantas decepções encaradas como aprendizado?
Quantas batalhas?
Quanta persistência?

Vim a passos lentos, mas cheguei!
E não me importa o que digam, não importa se não entendam a minha alegria em fazer parte disso! Eu sei o quanto caminhei pra chegar... Um dos meus maiores objetivos de vida foi alcançado!

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

"A Rasura que foi feita, foi perfeita na sua hora"

Deixa em cima desta mesa a foto que eu gostava
Pra eu pensar que o teu sorriso envelheceu comigo
Deixa eu ter a tua mão mais uma vez na minha
Pra que eu fotografe assim meu verdadeiro abrigo
Deixa a luz do quarto acesa a porta entreaberta
O lençol amarrotado mesmo que vazio
Deixa a toalha na mesa e a comida pronta
Só na minha voz não mexa eu mesmo silencio
Deixa o coração falar o que eu calei um dia
Deixa a casa sem barulho achando que ainda é cedo
Deixa o nosso amor morrer sem graça e sem poesia
Deixa tudo como está e se puder, sem medo
Deixa tudo que lembrar eu finjo que esqueço
Deixa e quando não voltar eu finjo que não importa
Deixa eu ver se me recordo uma frase de efeito
Pra dizer te vendo ir fechando atrás da porta
Deixa o que não for urgente que eu ainda preciso
Deixa o meu olhar doente pousado na mesa
Deixa ali teu endereço qualquer coisa aviso
Deixa o que fingiu levar mas deixou de surpresa
Deixa eu chorar como nunca fui capaz contigo
Deixa eu enfrentar a insônia como gente grande
Deixa ao menos uma vez eu fingir que consigo
Se o adeus demora a dor no coração se expande
Deixa o disco na vitrola pra eu pensar que é festa
Deixa a gaveta trancada pra eu não ver tua ausência
Deixa a minha insanidade é tudo que me resta
Deixa eu por à prova toda minha resistência
Deixa eu confessar meu medo do claro e do escuro
Deixa eu contar que era farsa minha voz tranqüila
Deixa pendurada a calça de brim desbotado
Que como esse nosso amor ao menor vento oscila
Deixa eu sonhar que você não tem nenhuma pressa
Deixa um último recado na casa vizinha
Deixa de sofisma e vamos ao que interessa
Deixa a dor que eu lhe causei agora é toda minha
Deixa tudo que eu não disse mas você sabia
Deixa o que você calou e eu tanto precisava
Deixa o que era inexistente e eu pensei que havia
Deixa tudo o que eu pedia mas pensei que dava
-----------------------------------------------------
Difícil não me lembrar de você, você mudou completamente o destino das coisas em minha vida, e nós dois nem sabíamos o que estávamos fazendo!
Te conheci depois de algumas frustrações, e vi em você uma oportunidade de compartilhar, até então, as minhas angústias de adolescente complexada. Fui tentando, tentando até você conseguir olhar para mim, e depois que olhou, tentei, tentei até você me incluir em sua vida, eu estava ali, sempre ao seu lado, como quem não tinha vida própria, e como pessoa autêntica que sempre foi, você viveu sua vida, e eu, ali, parada, olhando você fazer tudo o que tinha que fazer pra alcançar seus gananciosos sonhos de um aprendiz de homem, assim fui me dedicando a você e recebendo migalhas, fui me acostumando com você, e de tanto tentar fazer de você a pessoa com quem eu queria dividir, acreditei te amar, fiz você me amar, e por não entender a sua dificuldade seca em não se mostrar como era, acabei com o pouco que restou depois de tantas incompatibilidades toleradas de forma triste e ríspida.
Porque esclarecer isso a mim depois de tanto tempo?
Simplesmente por não doer mais.
Aprendi a duras penas que cada um de nós tem motivos justificáveis para sermos como somos, as migalhas que você me dava, era tudo o que podia me oferecer, afinal, como dizem, as pessoas nos dão o que elas tem, não é mesmo?
Nosso relacionamento não teve só partes ruins, você se esforçou e depois de aprender a lidar com certas coisas, também esteve ao meu lado em momentos difíceis, o problema é que demorei demais pra entender que você não tinha o que eu procurava, e eu tinha em excesso as coisas que você nunca fez questão em sua vida.
Eu, sempre tentando controlar as situações para que tudo saísse como nos meus sonhos de menina, e você sempre seguindo sua vida sem tempo de ouvir as coisas que eu gostaria de lhe dizer e ter a recíproca verdadeira, hoje, isso me deixa menos culpada de ter te enganado e enganando a mim, na maioria das vezes eu lhe disse o que queria sentir, viu por que tanta frustração? Eu te culpei por isso, te odiei por isso, mas no fundo eu não consegui te amar.
Crescemos...
Você está conseguindo ser o homem que sempre sonhou e está recebendo as recompensas por todas as suas batalhas, sempre te admirei por isso.
Eu, terminando resgatar minha personalidade que ficou escondida durante esses quatro anos. E construindo a minha vida de forma independente.
Na conclusão de tudo conseguimos dividir uma única coisa, aprendemos juntos, apanhando e batendo, caindo e levantando. Obrigada por isso. E cuidado com o que vai fazer da sua vida e com as pessoas que lhe querem bem.
"Pra ser sincera, não espero de você, mas do que educação... Meu amigo, até mais..."

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

PAN! O Sistema detectou um conflito entre o softwares!!!

VOCÊ - CHICAS
Você desfoca, sai do tom
Se perde e não vê
Que a confusão começa dentro de você
Disfarça, acha graça, desmonta e sorri
Não aguenta o peso
dessa máscara que esconde...
Você!... Carrega o mundo e não vê que ser...
Feliz é viver o presente e deixar fluir...
O que sente e não se importar
Com que os outros pensam que você é...
Quem é você?
Você que é tão sensata,tão cheia de si
Sempre fazendo festa e se sentindo tão só
Você que sempre agrada e sem perceber
Insiste em seguir um caminho
Que não é...
Você!... Carrega o mundo e não vê que ser...
Sai do quarto... Passa da porta e vai...
Deixa o mundo ver...
Sai do quarto passa da porta e vai
Quem sabe você?
Entrega pro mundo e vê, que ser...
Feliz é viver o presente e deixar fluir...
O que sente e não se importar...
Com que os outros pensam
Que você é...
Quem é você...
Deixa o mundo ver...

É, mais uma vez a confusão toma conta dos meus sentimentos. Estranho como as coisas mudam de repente! Sempre tenho a impressão que alguém pega o Planeta, dá um chacoalhão, e tudo muda de lugar...
E assim, sem explicação, acordei hoje sentindo que os papeis se inverteram.
Não queria admitir, mas preciso ser sincera comigo mesma.
Até a pouco, eu estava preocupada em pensar no que você sentia, e esse blablabla todo que mulheres 'implantam' na cabeça de forma agoniante.
Mas hoje acordei diferente, não sei se as expectativas foram grandes demais e o vento não foi capaz de soprar a fogueira de forma suficiente, mas alguma coisa aqui dentro mudou...

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Entendi... sem querer.

E em uma passagem da vida pisquei, e nesse pequenino fragmento de tempo que fiquei com os olhos fechados, entendi, você me ama pela minha origem, mas no fundo detesta a pessoa que me tornei!
Sinto informar, você não me conhece como acredita conhecer.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Mais uma vez falam por mim...

Tentaram me fazer acreditar que o amor não existe e que sonhos estão fora de moda. Cavaram um buraco bem fundo e tentaram enterrar todos os meus desejos, um a um, como fizeram com os deles. Mas como menina-teimosa que sou, ainda insisto em desentortar os caminhos. Em construir castelos sem pensar nos ventos. Em buscar verdades enquanto elas tentam fugir de mim. a manter meu buquê de sorrisos no rosto, sem perder a vontade de antes. Porque eu aprendi que a vida, apesar de bruta, é meio mágica. Dá sempre pra tirar um coelho da cartola. E lá vou eu, nas minhas tentativas, às vezes meio cegas, às vezes meios burras, tentar acertar os passos. Sem me preocupar se a próxima etapa será tombo ou voo. Eu sei que vou. Insisto na caminhada. O que não dá é pra ficar parado. Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo, eu tiro um arco-íris da cartola. E refaço. Colo. Pinto e bordo. Porque a força de dentro é maior. Maior que todo mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários. É maior porque é do bem. E nisso, sim, acredito até o fim. O destino da felicidade, me foi traçado no berço. (C.F.A)

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

"Tão simples, tão claro. E de alguma forma inequívoca pra sempre!"


De repente passa por seu caminho alguém especial, fica por um curto período de tempo, mas inexplicavelmente deixa marcas na sua vida.
Por mais que o tempo passe, o carinho não diminui, lembra-se de momentos bons, e a saudade aparece, não aquela que aperta o coração até ele explodir e soltar lágrimas pelos nossos olhos, a saudade que tomo peito é daquilo que acabou exatamente quando devia acabar e deixa o gosto bom do que foi vivido exatamente como deveria.
O coração se enche de alegria ao saber das coisas boas que se passa na vida do outro, se enche de alegria simplesmente de saber que ele está lá, e ter a certeza que sente na boca o mesmo gosto, aquele que é doce e suave.
Parafraseando Caio Fernando de Abreu, "deve ter alguma cor nisso" e é bem clarinha!
Espero sentir isso a vida toda, porque 'Não amo não viu bobo!'
Tenho por ele um apreço imenso!

Título: Caio Fernando de Abreu

domingo, 30 de janeiro de 2011

Pensei em escrever, mas já escreveram por mim...

Eu sempre me afasto dos nervosos. Procuro ter a delicadeza de nunca ligar-me a pessoas grosseiras, falsas, insensíveis. Fujo dos enfurecidos. Desvio-me de ciumentos radicais. Detesto autoritários. Quero distância absoluta de estressados e neuróticos. Não concedo aos ditadores sequer minha presença temporária, nem permito aos brutos que suponham ser possível invadir os meus momentos de amor — que são todos.

Jamais negocio a minha própria Liberdade.

Até porque, se eu não for delicado comigo mesmo, se eu não for responsável por mim, se eu não respeitar profundamente os meus amores — estarei compactuando com esses algozes peçonhentos. Aliás, se eu não me cuidasse desde pequenino, esses desgraçados de aluguel já teriam estragado a minha inocência e sufocado para sempre o meu espírito poético.

Por Edson Marques {www.mude.blogspot.com}

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O Universo e eu menor que um grão de areia



Me impressiona a forma como as coisas se mostram a mim de forma clara.
Definitivamente os acontecimentos em minha vida transcorrem de forma muito fácil e sem obstáculos.
A algum tempo estou afastada das questões religiosas - mera falta de atenção - depois de alguns ensaios resolvi me aproximar efetivamente, o que não é difícil de se imaginar tendo eu a personalidade que tenho, isso causou em meu cérebro grandes dúvidas e medos.
Pensando então na religiosidade de forma geral, me ocorreu: 'preciso ler um livro sobre isso, qualquer um, mas tenho que ler' e o nome que me veio a cabeça foi 'O Evangelho segundo Jesus Cristo', provavelmente ouvi em algum lugar, e não vou me lembrar qual a origem disso.
Hoje, estava eu no Twitter quando vi o perfil de José Saramago, até então são sabia quem era, mas como adoro frases de efeito, resolvi bisbilhotar, as frases eram interessantes e fui pesquisar quem seria o tal José Saramago (o nome não me era estranho), vi então que ele é autor do livro "O Ensaio para Cequeira" afirmação que me faz arrepiar de lembrar das cenas do filme, as reflexões que fiz depois que assisti me marcam desde então.
Não satisfeita, gostaria de descobrir mais sobre ele, homem interessante!
E na sua lista de Obras está: "O Evangelho segundo Jesus Cristo", intrigada, cliquei sobre a obra para ver do que se tratava, e a primeira linha dizia: "O livro conta uma história humanizada da vida de Jesus e alude a uma sua eventual relação com Maria Madalena". Essa é uma afirmação que fica na minha cabeça como certeza desde que consigo entender a relação de homem e mulher, não sei se por influência da minha mãe, mas sempre acreditei nisso.
Tudo acontece na minha vida de forma transparente, tenho a impressão que sou sempre 'induzida' a seguir certos caminhos, e até agora, esses caminhos me levam sempre ao lugar certo.
O Universo conspira a meu favor, ou eu que sigo as suas forças?

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

"Hoje acordei tão só, mais só do que eu merecia"

Dúvida!
Eu tenho as minhas, e são várias, algumas tolas, algumas complexas demais, ninguém aprende com certezas, assim como as conquistas do mundo derivam de amores mau sucedidos, são coisas como o fracasso, o tombo e o 'não' que fazem irmos adiante.
E essa angústica que fica aqui dentro, que tem por razão as dúvidas que no fundo  são certezas negativas, certezas negativas doem, e essa mistura de sentir com não querer sentir, ou sentir, querer sentir mas encarar a indiferença de quem não sente é que me faz angustiada.
O meu egoismo natural e excessivo me correi e me torno uma pessoa ruim aos meu olhos de dentro, tenho vontade de correr daqui, correr do mundo e me libertar de mim!

Ver!

Leio, e meus olhos em conjunto com meu cérebro fazem passar na minha cabeça as imagens das coisas que eu vivi, e me fazem sentir saudade do que eu ainda não pude olhar, do que eu não pude sentir.
E cada linha que coloco para dentro de mim se transforma no que eu vivi, e cada coisa que eu digo, penso ou faço é falada pelas pessoas que escreveram, não sei se sou eu ou se sou todos ao mesmo tempo.

A Pneumoverdade da coisa!

A garota independente e cheia de teorias sobre a vida, não pára de escrever sobre o menino de lindos sonhos e 2m de altura!
Se escrevo é por que penso. E se penso não durmo, e se não durmo perco atenção e sem muito esforço penso de novo.
Culpa dessa pneumonia ai que ele teve. Se não fosse isso eu continuaria fingindo que vi nele uma oportunidade de materializar o que eu espero de um homem com a graça de um menino ou um menino com a graça de um homem.
Cá pra nós que apesar da independencia, teorias, razões e sentimenos atrapalhados eu quero perder o ar, sentir as borboletas e todo o resto.
Mas e agora? Qual desculpa eu darei? Se eu não penso mais no que ele traria de bom e novo pra essa menina mulher ou mulher menina cheia de espaços vazios a serem preenchidos. E fico imaginando se ele está bem, se a febre abaixou, se ele conseguiu comer o 'sanduba' todo, ou se eu estar por perto faria diferença naquele mundo turbulento cheio de traumas, medos e raiva de não ser quem se quer ser.
Eu gostaria de estar lá, do lado da cama vendo ele dormir tranquilo depois da dor de cabeça ter passado. Muito difícil para mim assumir isso, prometi que não faria nada parecido de novo. Mas a verdade é que eu gostaria de estar lá e gostaria de fazer a diferença.
Mas prefiro acreditar na minha intuição que quase nunca me deixou na mão e pensar que isso seria uma invasão no mundo alheio, e me contentar com ser a menina do lencinho do lado de fora do mundo fechado que ele construiu e esperar pelo abraço apertado que me tira os pés do chão.
Se quando nos virmos isso realmente acontecer, terei certeza de que a saudade é maior do o uso habitual da ausência forçada e poderemos continuar do ponto onde paramos.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Ahhh como é bom ter amigos! Sim, eu os tenho!


Confesso que já pensei várias vezes não os ter, já inventei interesses, já preferi ficar sozinha, já me escondi, mas o fato é que tenho amigos.
Amigos ainda se contam nos dedos mas eles existem.
Tem a amiga 'pra sempre' que não está do seu lado em todos os momentos, mas inexplicavelmente está nos momentos mais importantes. Cria-se laços, e quando se percebe você já faz parte da família e vice-versa, essa você ouve e é ouvida.
Tem a amiga 'filha', aquela que sempre te procura quando precisa de conselhos e quando não precisa, simplesmente para ouvir sua opnião, ela ouve o que você diz, e na maioria das vezes toma suas palavras como verdade.
Tem a amiga 'doida' que aparece nas horas de farra, mas que no fundo você sabe que lhe tem um carinho enorme.
Tem a amiga 'carente' que você não vê sempre, não procura sempre, mas é uma das que mais gostam de você. Simplesmente por gostar da sua presença, simplesmente por te querer por perto.
Tem a amiga 'mãe', aquela que normalmente é mais velha que você ou não, ela te dá conselhos, sente sua falta e lhe quer um bem danado.
E tem os amigos! Ahh os amigos, esse são raros, muito raros pra uma mulher, normalmente eles se apaixonam por você, pode ser antes da amizade florescer ou depois, uma hora eles se apaixomam, e isso acontece por que não conseguem entender como uma garota pode ter tanto a ver com eles, como pode conversar de tantas coisas sem 'nãometoques', e se sabemos lidar com esse momento 'paixonite', criamos um laço ainda maior, ele te dá a visão masculina da coisa, sem máscaras, e sai com você mesmo que tivesse um encontro romântico com uma guria gostosa dessas que ele fica por ai. Tá, pode ser que ele decida sair com a guria gostosa, mas você sabe que ele está lá, pro que der e vier, e você tem certeza disso quando ele diz: "Vai em frente! Do chão vc não passa =), Voa ^^, se cair
tem gente aqui pra te segurar, eu to aqui embaixo caso vc caia =), a gente amortece a queda xD". você pode ter vários melhores amigos(homens) pela vida, mas não mais de um por vez.
Tem os amigos que Deus escolheu para mim, mas esses merecem um post exclusivo.
Tem momentos em nossas vidas que essas pessoas adquirem importante valor, e se tornam anjos sem asas. E é por isso "que tenho por eles um apreço imenso".

Ele não está tão afim de você.


Sábado a noite, sem vontade de sair para grandes festas e feitos, junta-se amigas e assiste-se filmes que fazem qualquer mulher chorar e comer brigadeiro na colher.
Comédia romântica, mais um daqueles filmes americanos com personagens lindos(as) e gostosos(as) e the ends, mas para a surpresa da platéia que assistia, balançou certas verdades femininas que nos são enfiadas goela abaixo desde criança.
A mulher é induzida desde muito nova a acreditar nas desculpas idiotas que as outras mulheres nos dão para diminuir a dor de não ser querida e desejada pelo homem que nos toma o coração (se é que a gente não inventa isso pra se distrair e acredita sofrer por um grande amor).
Coisas do tipo: "Ele gosta de mim, só tem medo de se envolver" ou "Ele sempre foi mulherengo, mas agora está apaixonado por mim, isso não vai mais acontecer".
Parem! Não existe medo, não existe mudança! As pessoas são o que são! Se ele não te liga, não foi porque o telhado da casa caiu, ou o sinal da telefonia móvel não funcionou no país inteiro por meia hora. Ele não ligou porque NÃO ESTÁ TÃO AFIM DE VOCÊ. Dedique-se a sua vida e assuma o seu papel de mulher, a preciosidade do seu coração vale muito mais do que a teimosia de quem não te percebe.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

No meu país, na cidade de DENTRO no Mundo de MIM!



E lá vou eu, de volta pra dentro de mim, aqui eu fico segura, aqui as saudades não me encontram, o tal amor fica mais distante e eu evito a dor.
Daqui vejo todas as cores da minha vida, elas ainda estão aqui, e sempre estarão, brinco com a raiz da minha alegria que se erradia pelo meu sorriso.
Volto sempre que precisar para cumprir o combinado: Não importa o que aconteça eu não vou me abandonar.
Quem sabe quando eu sair daqui de dentro eu não te encontre, e a gente sonha e voa juntos de novo...
Mas agora prefiro ficar só comigo, e abrir a caixinha que guarda todos os meus sentimentos - a chamam coração - e com o potinho que guarda tudo que conheço, o que me lembro e o que esqueci - o chamam de cérebro.

Meu mundo ficaria completo...

(Seu coração ainda está fora do meu alcance, mas é só você abaixar um pouquinho que eu agarro ele e solto só quando o sempre chegar! E tenho Dito!)
Meu mundo ficaria completo
(Cássia Eller)


Não é porque eu sujei a roupa bem agora que eu já estava saindo
Nem mesmo porque eu peguei o maior trânsito e acabei perdendo o
cinema
Não é porque não acho o papel onde anotei o telefone que eu tô precisando
Nem mesmo o dedo que eu cortei abrindo a lata e ainda continua sangrando
Não é porque fui mal na prova de geometria e periga d'eu repetir de ano
Nem mesmo o meu carro que parou de madrugada só por falta de gasolina
Não é por que tá muito frio, não é por que tá muito calor
O problema é que eu te amo
Não tenho dúvidas que com você daria certo
Juntos faríamos tantos planos
Com você o meu mundo ficaria completo
Eu vejo nossos filhos brincando
E depois cresceriam e nos dariam os netos
Não é porque eu sei que ele não virá que eu não veja a porta já se abrindo
E que eu não queira tê-lo, mesmo que não tenha a mínima lógica nesse raciocínio
Não é que eu esteja procurando no infinito a sorte
Para andar comigo
Se a fé remove até montanhas, o desejo é o que torna o irreal possível
Não é por isso que eu não possa estar feliz, sorrindo e cantando
Não é por isso que ela não possa estar feliz, sorrindo e cantando
Não vou dizer que eu não ligo, eu digo o que eu sinto e o que eu sou
O problema é que eu te amo
Não tenha dúvidas pois isso não é mais secreto
Juntos morreríamos, pois nos amamos
E de nós o mundo ficaria deserto
Eu vejo nossos filhos lembrando
Com os seus filhos que já teriam seus netos

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Estaria traindo as minhas verdades se dissesse aqui que essa agonia que me corroi por dentro decorre dos pequenos fragmentos do meu dia que foram péssimos, pequenas coisas erradas não me afetam!
A agonia que me corroe por dentro é por você. E essa conclusão me mostra: Você é a pessoa errada! É a pessoa errada que eu sempre procurei! Quero que seja! Aqui! Comigo! Agora e Sempre! É, sempre!
Sempre até que você não consiga mais me ouvir, até que você não perceba a forma como eu movimento as mãos, até que os seus olhos não brilhem ao me ver criança, até que 'cada parte do meu corpo não se mexa uma contra a outra', até que as borboletam fujam de dentro da minha barriga, até que o ar não mais me falte, até que eu não aplauda os seus desejos de voar, até que eu não queira estar aqui, até que você não queira estar aqui, até que tenha fim e eu tenha que guardar todas as partes incríveis que vivemos em um potinho pra nunca esquecer.
Mas enquanto o sempre não chega venha comigo, vamos juntos, me mostre o que você vê lá de cima. Dizem que "o sopro que apaga uma chama, reacende o que for pra ficar", então eu sópro! E espero que o 'nósdoisjuntos' seja o que é pra ficar! Coragem SuperHomem! Os meus poderes se restringem a mim, não poderei lhe farei mau algum!

-=Tilla=-